Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

My Cherry Lips

O My Cherry Lips nasceu da minha vontade de partilhar com os outros tudo o que eu gosto e que faz parte do meu dia a dia. Moda, Beleza, Lifestyle são os seus temas principais. Visitem!

Sex | 19.01.18

Música às sextas - The Killers - Wonderful Wonderful

ArticleSharedImage-74317.jpg

Esta semana andei um pouco preguiçosa para escrever, mas hoje lá fiz um esforço e consegui. A verdade é que nem me custa muito porque eu adoro escrever sobre música. Assim, o "Música às Sextas" desta semana é sobre no novo álbum dos The Killers. Banda que, eu tal como a maioria das raparigas da minha geração conheceu através da série "The O.C". Aquela que muitas de vocês se devem lembrar por causa do amoroso/sexy Seth Cohen, mas que para além disso deu a conhecer a muita gente bandas indie's incríveis.

 

Como também já devem saber os The Killers atuam no Rock In Rio Lisboa, no dia 29 de junho de 2018 e se tudo correr bem, esta será a segunda vez que os irei ver ao vivo, pois vi-os tocar no Super Rock Super Rock em 2009 (mais tarde também vi o Brandon Flowers a solo no mesmo festival). Na altura, tinha imensas expetativas, primeiro porque o primeiro álbum desta banda, o "Hot Fuss" esteve anos em loop no meu leitor de MP3 e segundo porque os The Killers mesmo em disco tocam sempre como se fosse o seu último fôlego de vida. O concerto em si não foi épico... foi apenas bom, mas o álbum que tocaram na altura também não me puxava assim tanto e os seguintes também não. No entanto, quando ouvi o primeiro single deste novo disco pensei "bora lá dar-lhes uma segunda oportunidade".

 

Ora, "Wonderful Wonderful" é o quinto álbum de originais da banda americana e finalmente recupera um pouco da sua essência inicial. Caso disso é "The Man" (o tal single de apresentação), uma música mexida que me lembra um pouco Talking Heads, "Run For Cover", que me lembra os meus tempos de liceu, aqueles em que ouvia The Killers todos os dias, "Life To Come" ali a rossar a U2, mas que até é gira e "Tyson vs Douglas", uma música com uma energia contagiante perfeita para começar um bom dia de trabalho ou mesmo de lazer.

 

Depois temos ainda "Some Kind Of Love" uma música mais introspetiva, que eu acredito que funcionará muito bem ao vivo, "Out Of My Mind", uma música bem pop, mas que sabe bem ouvir no carro num daqueles passeios de domingo, "The Calling", com uns belos riffs de guitarra ali na onda de Depeche Mode e a fechar "Have All the Songs Been Written?". Uma canção cujo o título leva a pensar "será que os The Killers já fizeram tudo que tinham para fazer no mundo da música?". Bem, espero que não porque eu até gostei deste disco e espero que o concerto em Lisboa seja aquele que eu não tive quando os vi pela primeira vez.

 

Até lá, deixo-vos algumas músicas deste "Wonderful Wonderful" e desejo-vos um bom fim de semana!

 

"The Man"

 

 "Run For Cover"

Graziela
Qui | 18.01.18

O pequeno livro da felicidade

Logitech-9678.jpg

Foto: Graziela Costa

 

A felicidade tem muito que se lhe diga e se para muitos são bens materiais para outros são apenas sensações e sentimentos. Para mim é um misto das duas, mas nos últimos 3 anos tem sido dificil encontrá-la por mais que breves momentos. Por isso, decidi começar a procurar alguns livros sobre o assunto, basicamente livros de "auto-ajuda".  

 

As opções atualmente disponíveis no mercado são mais que muitas e se por um lado temos os tradicionais autores americanos, do outro "chovem" manifestos escandinavos (sobre os quais irei escrever em breve). Assim, decidi ir mais longe e procurei algo nacional e encontrei "O pequeno livro da felicidade" (Manuscrito Editora). Um livro da Susana Almeida, autora do projeto "Feliz é Quem Diz", que faz ilustrações tão giras que nos deixam sempre de "sorriso de orelha a orelha".

 

Com pequenos projetos e ideias para relembrar e encontrar a felicidade nas coisas mais simples da vida, "O pequeno livro da felicidade" traz cinquenta e duas frases que nos inspiram a ser mais feliz. Para além disso, está repleto de belas ilustrações e nele até podemos colar fotografias, desenhos e outras memórias para mais tarde recordar. 

 

Em suma: o livro ideal para começarmos o novo ano mais felizes (eu pelo menos estou a tentar seguir à risca as suas dicas)!

Graziela
Ter | 16.01.18

Cheirinho a cereja: Nivea Body Lotion & Oil Cherry Blossom

Nivea_Body_Lotion_Cherryblossom-0106-min.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Bem, acho que o nome do blog espelha bem a minha paixão por cerejas e no que toca à "alimentação do meu vício" a área da beleza é uma das mais fortes. Por isso, quando vi nas lojas o Nivea Cherry Blossom quis logo experimentar. Aliás, na altura até arranjei umas amostras, mas só agora consegui fazer review do produto.

 

Com as características chave que os produtos da Nivea já me habituaram (boa relação qualidade/preço), este Body Lotion & Oil de Cherry Blossom tem uma textura suave, espalha-se bem e tem um cheirinho a flor de cerejeira que se prolonga ao longo do dia. 

 

A embalagem é prática (com uma capacidade de 200ml) e ao fim de algumas utilizações já notamos a nossa pele bastante macia e hidratada.

 

O melhor é mesmo o preço (cerca de 4,49 euros) e a facilidade de encontrar este produto em qualquer superficie comercial.

Nivea_Body_Lotion_Cherryblossom-0108-min.jpg

Um produto com uma boa relação qualidade/preço

Nivea_Body_Lotion_Cherryblossom-0110-min.jpg

Graziela
Sex | 12.01.18

Música às sextas - Jessie Ware - Glasshouse

JessieWareGlasshouse.jpg

Sejam bem vindos ao primeiro "Música às Sextas" de 2018, um ano que eu espero que seja recheado de bons discos! No entanto, hoje ainda vos escrevo sobre um álbum editado no ano passado: "Glasshouse" de Jessie Ware.

 

Considerado um dos melhores álbuns de 2017, o terceiro álbum da cantora britânica teve como primeiro single "Midnight". Uma música com algum dramatismo, mas sem dúvida uma das mais interessantes deste novo disco. Segue-se "Thinking About You", uma canção apaixonada, com um refrão "orelhudo", que nos dá vontade de cantar. Pelo meio "Stay Awake, Wait For Me", um tema com um toque mais Jazz e muito girl power.

 

Depois, a puxar para a dança "Your Domino" e "Selfish Love", sendo que a primeira é mais eletrónica e a segunda lembra um tango. Aliás, para mim é mesmo a melhor canção do disco. Menção honrosa ainda para "Alone" e "First Time" que bem que poderiam, ter sido escritas para a banda sonora de um filme romântico.

 

Por fim, destaco o dueto "fofinho" com Paul Buchanan dos The Blue Nile, a balada "Slow Me Down" e a belíssima "Sam", uma homenagem ao marido e à filha da cantora.

 

Em suma: um álbum Pop com nota máxima onde não são precisos grandes artefactos, pois a cristalina voz de Jessie Ware chega e sobra para dar "corpo" às canções do disco.

 

Agora, deixo-vos algumas músicas deste "Glasshouse" e espero que a Jessie volte a Portugal em breve. Até porque já passaram uns anitos desde que ela tocou no Nos Alive.

  

 Midnight

 

 Selfish Love

 

 Alone

Graziela
Qua | 10.01.18

Bio-Oil em review

Biooil-005037.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Depois de meses a testar, hoje escrevo finalmente a review do Bio-oil. Um produto que me deram a conhecer há uns meses e sobre o qual já tinha lido muitas coisas.

 

Ora, segundo o que havia lido, o Bio-oil é um óleo especializado em cuidados de pele que ajuda a melhorar a aparência das estrias, cicatrizes e tons de pele irregulares, assim como ajuda a combater a desidratação e o envelhecimento da pele do rosto e corpo.

 

Em relação à minha experiência posso "dizer-vos" que sim, este produto ajuda a atenuar o aspecto das estrias e cicatrizes, mas não vai fazer com que elas desapareçam, por isso se procuram um produto para acabar com elas este não é o indicado. No entanto, acho que funciona muito bem no que toca a devolver a hidratação à nossa pele. Digo isto, porque segundo o que diz no site da marca para que o Bio-oil tenha efeitos visíveis tem de ser aplicado no mínimo durante três meses (usei um frasco de 200ml de produto durante o período indicado), mas ao fim de duas semanas (usando de manhã e à noite) eu já notava minha pele mais hidratada. Já as minhas cicatrizes nas costas não desapareceram nem mudaram muito de aspeto, o que é pena porque como tenho essas manchas não me sinto à vontade para usar roupas com "costas à vista".

 

Claro que, os resultados do uso de Bio-oil vão variar de pessoa para pessoa, mas como eu sou persistente vou continuar a usá-lo, para ver se pelo menos consigo atenuar as estrias resultantes das minhas variações de peso.

 

Para quem ainda não experimentou e está com curiosidade aconselho-vos a começar pela embalagem mais pequena (existem três formatos disponíveis em Portugal: 60, 125 e 200ml) para ver se gostam da textura (é semelhante à de um óleo de massagem e eu adoro) e do cheiro a plantas, nomeadamente: calêndula, camomila, alecrim e lavanda.

 

Ah e quando o usarem, deixem "secar" uns minutos antes de se vestirem porque apesar do Bio-oil não manchar a roupa vai deixar-vos mais confortáveis. ;) 

Biooil-005041.jpg

 Disponível em vários formatos

Biooil-005056.jpg

Graziela
Ter | 09.01.18

Ano novo, batom novo

Lady_Lily_O_Boticario-0060.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Desde pequena que adoro batons. Mate, lip gloss, com brilho, acetinados, em bastão, boião ou mesmo com pincel... A verdade é que sou fã de todos. No entanto, sou mais esquisita com as cores e acabo por andar sempre nos rosa ou vermelhos. Basicamente, os tons mais comuns e os que eu acho que me ficam melhor.

 

Como tenho esperança que 2018 seja um ano forte decidi também começar ano com um batom mais forte: o batom líquido Grand Rouge Elixir na cor Rouge 111, da Yves Rocher.

 

A versão batom líquido do clássico Grand Rouge, cuja review podem ver aqui, com acabamento mate e cores igualmente ultra pigmentadas.  Um produto que deixa os lábios suaves, cheirosos (tem um cheiro adocicado bastante interessante), com uma boa cobertura e com um pigmento que pode durar até 12 horas. Muito bom, não acham?

 

Por fim, a embalagem: dourada, mais prática do que a do Grand Rouge, mas igualmente elegante. Assim, para quem estiver à procura de um batom giro e relativamente barato (custa 10,99 euros) aconselho-vos a falarem com uma revendedora Yves Rocher.

Lady_Lily_O_Boticario-0062.jpg

 Batom líquido Grand Rouge Elixir na cor Rouge 111, da Yves Rocher

Graziela
Seg | 08.01.18

Testei o álbum da Saal Digital

Saal_Digital_Graziela_Costa-9934.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Se têm Facebook e gostam de Fotografia é possível que já vos tenha aparecido um anúncio da Saal Digital (uma empresa de fotografia alemã que faz impressão de álbuns digitais, quadros personalizados, telas, impressões FineArt, posters, artigos de decoração, etc.). A mim apareceu-me várias vezes e como volta não volta preciso de fazer álbuns para os meus clientes decidi experimentar fazer um álbum com fotografias de espetáculo.

 

Como já devem ter percebido pelas minhas redes sociais eu fotografo muitos concertos, mas raramente imprimo as fotografias que faço, pois são para plataformas digitais. Para além disso, como as fotografias têm sempre muita cor e luminosidade, se as imprimir num daqueles quiosques automáticos, a cor e a luz vão todas ao ar, por isso convém escolher um bom suporte.

 

Assim, para esta primeira experiência com a Saal Digital escolhi um álbum de 28x21cm, com vinte seis páginas, capa brilhante, não acolchoada e com impressão profissional mate (escolhi este papel para que as fotografias não ficassem com dedadas quando as pessoas folheassem o álbum). O design fiz através do software disponibilizado gratuitamente por eles e posso dizer-vos que é super intuitivo, logo se algum dia quiserem fazer um álbum não se preocupem porque vai ser fácil.

 

Depois foi só confirmar se as imagens estavam todas corretas, preencher os meus dados, escolher o método de pagamento e envio (têm várias opções) e esperar.

 

Como pedi serviço de entrega normal pela DHL, esperei cerca de duas semanas e num belo sábado à tarde lá chegou o meu álbum. A encomenda vinha muito bem embalada e foi com alguma expetativa que a abri, mas a verdade é que o resultado superou em muito as minhas expetativas, digo isto porque já tinha impresso um álbum do género numa empresa concorrente e não tinha ficado tão bem impresso.

 

As cores estavam fiéis, a qualidade da impressão irrepreensível, a lombada estava bem colada. Enfim, fiquei super satisfeita!

 

Nesse sentido, partilho convosco o meu testemunho e algumas fotografias do meu álbum.

 

Ah e se quiserem conhecer os serviços das Saal Digital e quiçá experimentar aconselho-vos a passarem em http://www.saal-digital.pt/ 

Saal_Digital_Graziela_Costa-9927.jpg

Capa com texto personalizado por mim

Saal_Digital_Graziela_Costa-9929.jpg

Imagens fiéis

Saal_Digital_Graziela_Costa-9931.jpg

Preto e branco no tom certo

Saal_Digital_Graziela_Costa-9930.jpg

Brilhos equilibrados

Saal_Digital_Graziela_Costa-9932.jpg

 Pormenor da lombada

Graziela
Sex | 05.01.18

Sacoor Brothers AW17/18

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4438.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Apesar de já ter visitado alguns showrooms de primavera/verão, o inverno que reina por aqui. Por isso, aproveito para partilhar convosco as peças mais giras da coleção de outono/inverno da Sacoor Brothers.

 

Com temas como Lost Lake e Wild Nature, que nos convidam a viver um ambiente mais contemplativo e natural, ao mesmo tempo que nos desafiam a descobrir o desconhecido e inevitavelmente sair fora da nossa zona de conforto. Esta coleção usa materiais como a pele, os veludos, a caxemira e até a ganga. Já em termos de tons temos os negros, os azuis, os castanhos, os vermelhos e os verdes escuros e os beijes/brancos.

 

Quanto a peças destaco os sobretudos com inspiração militar, as calças com padrão em tweed e as camisolas étnicas, que discretamente dão vida as estas elegantes combinações. Nota ainda para o calçado e para os acessórios que apesar de terem cortes clássicos conseguem abrilhantar os looks ainda mais.

 

Agora, deixo-vos algumas fotos que fiz aquando da abertura da nova flaship store da Sacoor Brothers, no Centro Comercial Colombo, em Lisboa.

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4413.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4414.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4415.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4416.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4417.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4418.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4420.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4421.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4422.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4424.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4425.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4426.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4427.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4429.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4430.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4434.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4435.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4437.jpg

Sacoor_Brothers_FW2017_Graziela_Costa-4440.jpg

Graziela
Qui | 04.01.18

Ser turista na minha cidade - Parte 61: Reservatório da Mãe de Água

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-521

Fotos: Graziela Costa

 

Devido há falta de tempo há meses que não escrevia um post na rubrica "Ser turista na minha cidade", mas hoje os "astros" lá se alinharam e mostro-vos um monumento que muito especial para mim: o  Reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras. Um espaço onde fiz um dos meus primeiros trabalhos para o curso de fotografia e um dos locais mais relaxantes que podem encontrar em Lisboa.

 

Parte integrante do Museu da Água, o  Reservatório da Mãe d'Água das Amoreiras marcava a entrada das águas provenientes do Aqueduto das Águas Livres no centro da cidade. É um espaço amplo, com muita luz e um silêncio reconfortante que dá vontade de ficar lá horas a meditar, ler um livro ou até ouvir um bom disco. Para além disso, tem um terraço com uma vista incrível sobre Lisboa. Ou seja, já têm aqui muitas razões para o ir visitar.

 

Agora, deixo-vos umas fotografias para conhecerem este monumento  e não se esqueçam de visitar também a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, que podem ver neste "Ser turista na minha cidade".

 

* Nota extra: A EPAL faz 150 anos a 2 de abril de 2018 e para assinalar esta data, todos os núcleos do Museu da Água vão estar abertos aos fins de semana e com entrada livre (a oferta já está a decorrer). Ou seja, é a oportunidade perfeita para visitarem a Estação Elevatória a Vapor dos Barbadinhos, o Aqueduto das Águas Livres, a Mãe d’Água das Amoreiras, o Reservatório da Patriarcal e ficarem a conhecer a história do abastecimento de água à cidade de Lisboa.

  Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-521Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-521

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-519

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-519

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-522

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-522

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-520

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-520

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-520

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-520

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-520

 

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-523

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-523Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-524

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-524

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-524

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-525

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-525

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-526

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-518

Reservatorio_Mae_de_Agua_Lisboa_Graziela_Costa-518

Graziela
Qua | 03.01.18

Detox de ano novo - Yves Rocher Anti Pollution

Yves_Rocher_Anti_Pollution-7720.jpg

Fotos: Graziela Costa

 

Depois dos excessos de Natal e fim de ano está na hora de "limpar" o organismo por dentro e por fora. Nesse sentido apresento-vos a linha "Elixir Jeunesse", da Yves Rocher. Uma gama que eu andei a testar nos últimos meses e que é perfeita para começar este novo ano.

 

Composta por: um sérum, um gel micelar desmaquilhante, uma máscara flash desasfixiante, um creme de contorno de olhos, um creme de dia reestruturante e um creme recuperador de noite, a linha "Elixir Jeunesse" tem como objetivo recuperar a nossa pele dos malefícios causados pela poluição e o stress do dia a dia.

 

Eu experimentei alguns produtos desta gama e agora deixo-vos o meu feedback:

 

- Máscara flash desasfixiante: Com uma textura hidratante, esta máscara ajuda a desintoxicar a pele, fortalecendo-a e protegendo-a das agressões exteriores ao mesmo tempo que a deixa com uma sensação de frescura.

 

Deve ser utilizada duas vezes por semana, deixando-se atuar durante 5 a 10 minutos. Depois é só remover com algodão e ver com a pele fica mais macia e luminosa.

 

*Este produto é indicado para todos os tipos de pele.

 

- Creme de contorno de olhos: "Arma" essencial para aqueles dias mais complicados, este creme de contorno de olhos, tem uma textura em gel super fresca e ajuda a alisar a pele para obter um olhar luminoso. Deve aplicar-se sob o contorno dos olhos (vão adorar o massajador triplo) todos os dias de manhã e à noite, após a rotina de beleza diária.

 

*Este produto é indicado para todos os tipos de pele.

 

- Creme de dia reestruturante: Este creme repara a pele ao mesmo tempo que a repara face aos danos causados pela poluição. Tem uma textura em gel creme hidratante, um cheiro a plantas e deve ser aplicado todas as manhãs por todo o rosto, após o sérum.

 

*Este produto é indicado para peles normais a mistas e tem fator de proteção solar.

 

- Creme recuperador de noite: Porque a noite é o melhor período para a pele descansar, este creme de textura semelhante ao do de dia vai ajudar a repará-la, ao mesmo que reduz os seus sinais de fadiga e alisa também as incómodas rugas.

 

*Este produto é indicado para todos os tipos de pele e deve ser aplicado todas as noites.

 

Nota: Para obter melhores resultados, estes produtos devem ser usados a partir dos 30 anos. 

 

Prontas para começar a fazer um detox à vossa pele?

Yves_Rocher_Anti_Pollution-7731.jpg

Graziela

Pág. 1/2